O papel do big data no mapeamento da Covid-19


Tecnologia é estratégica para o monitoramento da Covid-19 no Brasil


Articles

Envio de mensagem em massa para monitoramento da Covid-19

A pandemia do novo coronavírus talvez seja a maior crise de nossos tempos. O que começou com um novo vírus identificado em uma cidade longínqua da China, se tornou um surto global capaz de impactar economias, comportamentos, relações e sistemas.

Por não termos as informações exatas de quem está infectado com o novo coronavírus, a medida aconselhada por organizações de saúde é o isolamento geral da população.

Com o intuito de mitigar os impactos da doença, estamos trabalhando em uma iniciativa que utiliza monitoramento de dados para fazer o mapeamento da evolução dos casos da Covid-19 no Brasil, por meio de alguns parâmetros. Acreditamos que é uma iniciativa relativamente simples, mas de grande impacto.

Mapeamento de casos da Covid-19 no Brasil

O monitoramento de casos de Covid-19 em tempo real é vital para que os órgãos de saúde competentes e a população possam tomar decisões para mitigar os efeitos da crise e identificar a expansão da doença.

E se por um lado ainda temos poucas certezas em relação aos efeitos da Covid-19 em todos os países, para além das milhares de mortes de pacientes vítimas da doença, por outro, nunca antes tivemos tanto acesso a informações e tecnologias capazes de construir uma resposta ágil e adequada à essa pandemia.

No mundo ideal, de acordo com as recomendações da OMS, todos os países seriam capazes de testar massivamente a sua população para conseguir fazer o mapeamento da expansão de casos do coronavírus, inclusive nas pessoas assintomáticas.

Não é o caso do Brasil. Com mais de 200 milhões de habitantes, a realidade do país é de uma quantidade limitada de kits de testagem e, ainda segundo a OMS, as informações oficiais sobre os brasileiros diagnosticados com o novo coronavírus representam cerca de 15% do universo real de casos

Nossa proposta consiste no mapeamento demográfico, geolocalizado e contínuo da população, realizando o monitoramento de sintomas da Covid-19 por meio de contatos periódicos, realizados através de chatbots de pesquisa via SMS, WhatsApp ou alertas prioritários enviados para a totalidade da base de celulares do Brasil.

Por que acreditamos que essa abordagem é altamente eficiente?

– Não é um app: A pesquisa feita via SMS ou WhatsApp elimina a barreira do download e torna o acesso mais fácil para a maioria da população;
– Centralização da pesquisa: Consolidar dados através das principais operadoras de celular permite uma leitura integral dos sintomas no país;
– Teste contínuo: O envio da avaliação a cada 3 dias permite uma leitura da evolução do quadro em tempo real;
– Envio massivo: Usar a base integral de celulares ativos no Brasil aumenta exponencialmente a quantidade de dados coletados, permitindo aos órgãos responsáveis informações mais precisas sobre os cenários do surto.

A mensagem seria enviada para o usuário a cada 3 dias, incluindo perguntas-chave como “você possui alguns desses sintomas?” ou “com quantas pessoas você mora?”, além de uma mensagem educativa orientando sobre os próximos passos em casos afirmativos para os sintomas da doença.

Os dados coletados serviriam para criar um painel de inteligência com as seguintes informações:

– Zonas geográficas (com precisão de ruas) do surto, com quantidade e perfil de pessoas relatando sintomas;
– Fronteira de avanço e velocidade de crescimento de quadros sintomáticos por regiões ao longo do tempo;
– Potencial de contaminação (quantidade de pessoas vivendo no  mesmo teto) geograficamente;
– Média de idade de pessoas sintomáticas (indica o potencial do “problema”);
– Percentual geral da população com sintomas.

Essas estatísticas podem orientar a formulação de políticas locais e nacionais, além de ajudar a prevenir a sobrecarga dos sistemas de saúde, e não apenas operar na lógica de reação em meio ao crescimento da doença.

Uma das premissas principais desse projeto é a transparência, levando em conta que não há a obrigatoriedade de resposta à pesquisa, além da privacidade de dados e anonimato do usuário.

Em contrapartida, os dados coletados também vão estar abertos para a população, que poderá acessar e acompanhar o monitoramento da Covid-19 e sua evolução em suas regiões.

Mais do que nunca, acreditamos que o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus deve ser encarado como um desafio global e coletivo, e por isso mesmo, que nossa proposta pode se somar e potencializar outras iniciativas semelhantes já existentes.

Nosso objetivo é que essa abordagem de monitoramento chegue até as lideranças das empresas de telecomunicação.

Qualquer pessoa, organização ou empresa que queira saber mais informações, dividir ideias ou apoiar essa iniciativa, entre em contato com a gente: info.sp@questtono.com.br